Preconceito ocasiona exclusão social ou perda de qualidade de vida por parte de suas vítimas. Imagem: Pixabay.

StopIdadismo e Atualiza somam forças contra o preconceito por idade

Tendo como objetivo comum a luta contra o idadismo em várias esferas, os Movimentos StopIdadismo e Atualiza resolveram somar esforços visando fortalecer as suas ações. As coordenações dos dois movimentos planejam promover uma série de atividades conjuntas, também buscando, eventualmente, estabelecer alianças com outras iniciativas e organizações que tenham o mesmo propósito, de combater e superar o idadismo ou etarismo, modalidade de preconceito por idade que foram aprofundadas em plano mundial no contexto da pandemia de Covid-19.

 O Movimento StopIdadismo foi lançado oficialmente no dia 30 de abril de 2021, como uma resposta de organizações de vários países iberoamericanos à publicação no início do ano do “Relatório Global sobre Preconceito de Idade”, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras organizações do Sistema das Nações Unidas.

Fundamentado em uma pesquisa realizada com 83 mil pessoas em 57 países, o relatório apontou que “a discriminação por idade se infiltra em muitas instituições e setores da sociedade, incluindo aqueles que fornecem assistência médica e social, no local de trabalho, na mídia e no sistema jurídico”.

O documento advertiu que as respostas para controlar a pandemia de Covid-19 revelaram a generalização da discriminação por idade, na medida em que pessoas mais jovens  sobretudo as idosas foram estereotipadas no discurso público e nas redes sociais.

Deflagrado na Espanha, por ASISPA (instituição voltada a serviços para pessoas em vulnerabilidade e exclusão social), o movimento StopIdadismo rapidamente recebeu apoios em Portugal, de Obras Sociais Viseu e Together International Portugal (Organização Não-Governamental que atua no combate às desigualdades sociais e na promoção de campanhas de ajuda humanitária).

Logo em seguida vieram outras adesões, em Portugal, no Brasil e outros países iberoamericanos. O Movimento StopIdadismo já promoveu várias ações, por exemplo relacionadas à campanha internacional contra a inclusão da velhice como doença na próxima CID-11 da OMS.

O Movimento Atualiza nasceu no Brasil, em janeiro de 2021, com o propósito de “atualizar, orientar, informar e capacitar pessoas em todos os segmentos sociais sobre os impactos nocivos do preconceito etário”. É o que o Movimento afirma no Guia de Boas Práticas de Combate ao Etarismo, que o Atualiza lançou em parceria com a Associação Brasileira de Anunciantes (ABA), um instrumento concebido justamente para subsidiar os esforços contra o etarismo ou idadismo difundido pelos meios de comunicação.

“Queremos explicitar – ou escancarar – esse preconceito, não só quando dirigidos aos mais velhos mas contra todas as vezes em que pessoas são julgadas por sua idade. Principalmente quando este preconceito ocasiona exclusão social ou perda de qualidade de vida por parte de suas vítimas”, completa o Atualiza.

As ações do Movimento Atualiza são coordenadas por um Conselho integrado por representantes de organizações como a própria ABA, Silver Makers, Mais Vivida, Envelhecimento Vivo, Envelhecimento 2.0 e SeniorGeek.

Para mais informações:

www.stopidadismo.pt

https://www.linkedin.com/company/movimento-atualiza/

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais
Entrevista: Dra. Karla Giacomin. Impactos da COVID-19 nas instituições para idosos e o que precisa mudar