Entidades pedem a bênção do Papa Francisco aos idosos do Brasil e a ampla divulgação do documento. Imagem de Reynaldo Amadeu Dal Lin Junior Juba por Pixabay

Carta ao Papa denuncia omissão do Brasil com idosos na pandemia

Em carta aberta ao Papa Francisco divulgada no início desta semana, a Frente Nacional de Fortalecimento à Instituição de Longa Permanência para Idosos (FN-ILPI) – formada por especialistas, profissionais, gestores e pesquisadores da área do envelhecimento no Brasil –denuncia a omissão do país em não incluir as instituições para pessoas idosas como locais prioritários de prevenção e cuidados durante a pandemia da COVID-19, providência recomendada a todos as nações pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Em um país que se recusa a envelhecer e para o qual velho é sempre o outro, essa recomendação não encontra eco. Enquanto isso, a violência contra a pessoa idosa, seja no espaço doméstico ou institucional e aquela produzida pela ação ou falta de ação do próprio Estado, encontram-se de tal modo banalizadas que sequer têm sido reconhecidas”, enfatiza o documento (disponível aqui para download).

Velhice desamparada

A carta lembra que, em todo o mundo, a face mais cruel da pandemia se revela no abandono das pessoas idosas, na falta de acesso a recursos na saúde, com elevada mortalidade daquelas que vivem em abrigos e instituições.

No Brasil, assinala, os impactos da disseminação da doença se mostram “na velhice desamparada e invisível nas ruas, nas instituições que oferecem condições precárias de assistência, nas famílias que não têm recursos para cuidar, na falta de uma política nacional e integrada de cuidados para pessoas de todas as idades”.

Envelhecer com dignidade

O documento endereçado ao Vaticano pondera que, embora a pandemia tenha exposto no Brasil “as vísceras da sociedade, deixando à mostra suas fragilidades, em termos de coesão do tecido social”, por outro lado mostrou também suas potencialidades para exercer a solidariedade, em relação à construção de uma Política Nacional de Cuidados pública, universal e permanente.

“A crise causada pelo novo coronavírus pode se transformar em uma oportunidade para compreender que o direito a envelhecer com dignidade não se inicia nem termina aos 60 anos. Para que esse direito se concretize, são necessárias políticas públicas acessíveis e efetivas ao longo de toda a vida”, salienta a carta ao Sumo Pontífice.

“A crise do coronavírus pode ser a oportunidade de compreender que o direito a envelhecer com dignidade depende de políticas públicas acessíveis ao longo de toda a vida”

O documento ainda apresenta ao Papa Francisco os objetivos da FN-ILPI e os propósitos do Relatório Técnico Consolidado” (disponível aqui para download), elaborado para orientar as instituições públicas, filantrópicas e privadas quanto às medidas de prevenção, assistência e boas práticas durante a pandemia (leia aqui matéria publicada pelo LONGEVINEWS).

A carta ao Papa Francisco é subscrita por Karla Giacomin (FN-ILPI), Carlos André Uehara (Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia-SBGG) Tereza Nelma Viana Soares (Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa) e Vania Beatriz Heredia (Presidente do Departamento de Gerontologia da SBGG).

Cloroquina preocupa entidade de Geriatria e Gerontologia

Em uma iniciativa simultânea ao envio da carta ao Papa Francisco, a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) tornou público também seu posicionamento e sua preocupação a respeito das modificações do protocolo do Ministério da Saúde para tratamento da COVID-19.

No dia 20 de maio, o Ministério da Saúde modificou suas recomendações relacionadas ao uso permissivo de medicamentos mesmo em pacientes com doença leve ou moderada, e passou a orientar o uso precoce de cloroquina ou hidroxicloroquina em associação com azitromicina.

No manifesto (disponível aqui para download), a entidade expressa a sua preocupação com as referidas mudanças a respeito da prescrição desses medicamentos sobretudo a pacientes idosos, àqueles que apresentam comorbidades e indivíduos frágeis, devido ao maior risco de dano iatrogênico associado aos medicamentos (dano não intencional causado por uma intervenção).

Estímulo a automedicação

Ainda segundo a SBGG, outro importante aspecto que não pode ser negligenciado é que tais recomendações podem estimular a automedicação e o uso não supervisionado de medicamentos potencialmente iatrogênicos.

“A SBGG entende que a prescrição de medicamentos com intuito de controle da replicação viral ou da doença em si seja reservada aos protocolos de pesquisa e que aguardará esperançosa por novos resultados de estudos clínicos que possam evidenciar eficácia e segurança de tratamentos para a COVID-19, doença que tem seu maior impacto entre os idosos”, destaca o documento.

Efeitos adversos

A entidade reconhece ser natural que a sociedade anseie por respostas rápidas, porém observa que, infelizmente, não há até o momento evidências científicas robustas que suportem a prescrição farmacológica específica para a COVID-19.

O principal ponto destacado pela associação é que, independentemente do cenário enfrentado, o princípio ético primordial de não causar dano deve ser respeitado.

“Há que se ter sempre a hipótese de que um tratamento ainda não devidamente testado pode, em vez de salvar vidas, encurtá-las, ou não apresentar efeito positivo algum e causar efeitos adversos”, salienta o documento da SBGG.

Nota da Redação

A respeito da notícia Carta ao Papa denuncia omissão do Brasil com idosos na pandemia, recebemos da FN-ILPI uma Nota de Esclarecimento que publicamos a seguir, acompanhada das considerações do PORTAL LONGEVINEWS .

Aos Senhores e às Senhoras da Rede Longevinews,

A Frente Nacional de Fortalecimento à ILPI foi criada com a missão de subsidiar a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (CIDOSO) da Câmara dos Deputados, no enfrentamento emergencial da pandemia da Covid-19, com ênfase para as ILPIs e contribuir para a construção de uma Política Nacional de Cuidados Continuados. Nossos valores estão pautados no Cuidado; Respeito; Amparo; Diversidade de saberes e Promoção, proteção e defesa permanente dos direitos das pessoas idosas.

Acreditamos na boa intenção da Rede Longevinews em divulgar a carta e agradecemos por isso. Porém, gostaríamos de evitar manifestações negativas em torno do tema, pois numa primeira leitura, gerou desconforto entre participantes da FN-ILPI. Acreditamos como vocês que o momento atual demanda a construção de parcerias entre a sociedade civil para apontar caminhos possíveis. Por isso, solicitamos que reconsiderassem a manchete.

Na nota, pretendemos esclarecer prontamente à Rede Logevinews que o principal objetivo da carta era o de comunicar ao Papa Francisco a existência dessa Frente Nacional e divulgar amplamente o Relatório Técnico Consolidado produzido pela FN-ILPI. Este material valioso traz informações úteis para todas as instituições de longa permanência para idosos e pode subsidiar a ação das políticas públicas. Reiteramos nosso apreço pelo trabalho da Rede Longevinews e queremos manter esse canal sempre aberto de acesso a comunicação e informações de interesse da população idosa. Contando com sua compreensão, agradecemos.

Equipe de Comunicação Nacional da Frente Nacional de Fortalecimento às ILPI

Aos Senhores e às Senhoras membros da FN-ILPI,

Agradecemos pelo envio da Nota de Esclarecimento. Publicaremos!

Não obstante, julgamos necessário esclarecer e enfatizar que não houve em nenhum momento de nossa parte o propósito de criar manchete negativa. E por respeito a equidade, consideramos necessário publicar também as nossas considerações a seguir.

O título da reportagem tão somente expressa o conteúdo de um dos parágrafos da carta, reproduzido na reportagem, em que a FN-ILPI relata de forma contundente ao destinatário Papa Francisco as nefastas consequências da omissão do Estado brasileiro em relação às recomendações da OMS quanto aos cuidados preventivos com idosos institucionalizados na pandemia.

Aliás, em seus quatro parágrafos iniciais, o documento retrata ao Papa Francisco, de forma bastante incisiva e corajosa, a situação de precariedade e desamparo vivenciada pelas pessoas idosas no Brasil no atual cenário da pandemia, como resultado sobretudo da ausência de uma política nacional e integrada de cuidados para pessoas de todas as idades, como bem ressalta o documento.

Compreendemos, sim, o caráter propositivo da iniciativa, tanto que mencionamos na reportagem a apresentação ao Sumo Pontífice do Relatório Técnico e sua valiosa contribuição para todas as instituições de longa permanência para idosos e para subsidiar a ação das políticas públicas, conforme descreve a carta em seus parágrafos finais.

Diga-se de passagem, conhecemos o documento, sabemos de sua ampla importância e por essa razão publicamos notícia quando de seu lançamento.

Por último, mas não menos importante. O Portal Longevinews tem a sua linha editorial exclusivamente voltada à temática da longevidade, e trata com seriedade jornalística e respeito os mais diferentes aspectos relacionados ao envelhecimento. Ou seja, pautamos nosso noticiário com assuntos que também estão no foco da atuação da FN-ILPI e ambos estamos a serviço de um público comum.

Nesse sentido, vale observar ainda que o Portal Longevinews tem dedicado espaços em todas as suas plataformas de conteúdo para divulgar amplamente as ações da FN-ILPI em texto, áudio e imagem, porque reconhece a enorme relevância do movimento, se solidariza com as suas ações a favor dos idosos institucionalizados, e também porque, como veículo de imprensa socialmente responsável, apoia com seu trabalho as causas em benefício das pessoas idosas.

Desse modo, certos de contarmos com a compreensão dos Senhores e das Senhoras para com as considerações apresentadas, permanecemos à disposição da FN-ILPI, bem como das demais organizações e profissionais envolvidos com a temática da pessoa idosa no Brasil, para continuar a contribuir como parceiros na divulgação de ações voltadas ao nosso público sênior.

Cordialmente,

PORTAL LONGEVINEWS

Leia Mais
Operação Estiagem começa hoje em Campinas com foco especial na proteção aos idosos