COVID-19 EXPÔS AS DEMANDAS SOCIAIS DAS PESSOAS IDOSAS. Imagem de Willfried Wende por Pixabay.

Videoconferência em 15 de junho debate direitos dos idosos no contexto da pandemia

“Pessoa idosa, direitos humanos e o que a pandemia nos alerta”. Este é o tema da videoconferência que acontece no dia 15 de junho, segunda-feira, às 17h30, na página do Conselho Nacional de Direitos Humanos no Facebook. A organização é do CNDH e da Pastoral da Pessoa Idosa, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

 A mediação da videoconferência será de Lucia Secoti, presidente destituída do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa. A destituição ocorreu em função de um dos primeiros atos do presidente Jair Bolsonaro, no cenário da reforma administrativa que implementou nos primeiros dias de governo (leia toda a repercussão no Portal Longevinews).

Participantes

Participam da videoconferência, como debatedores: Leonardo Pinho, vice-presidente do Conselho Nacional de Direitos Humanos e presidente da Unisol Brasil; Albamaria Abigalil, assistente social, mestre em Gerontologia Social pela Universidad Europea de Madrid , ex-Secretária Nacional da Promoção Humana do Ministério de Bem Estar Social; Marisa Accioly, assistente social, doutora em Saúde Pública, especialista em Gerontologia pela SBGG e Docente em Gerontologia na Universidade de São Paulo (USP); Socorro Morais, médica nutróloga e ginecologista, primeira Secretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa; e Raphael Tannus, presidente do Conselho Municipal do Idoso (CMI-Campinas) e membro da OAB-Campinas.

Diferentes olhares

De acordo com Lucia Secoti, a realização do evento em uma data dedicada à conscientização sobre a violência contra a pessoa idosa busca trazer diferentes olhares e um conteúdo informativo capazes de contribuir para o entendimento dos direitos fundamentais da sociedade como um todo.

“Para se ter consciência é preciso compreensão sobre os nossos direitos como cidadãos, e não somente como pessoas idosas. A nossa proposta, portanto, foi constituir um painel que pudesse entrelaçar diferentes conhecimentos em torno do eixo da pandemia e das questões dela decorrentes”, explica a mediadora da webinar.

Conforme lembra a representante da Pastoral da Pessoa Idosa da Arquidiocese de Campinas, a população idosa saiu da invisibilidade quando se tornou grupo de risco por causa da COVID-19 e foi jogada no centro das discussões sobre a pandemia.

“Isso expôs situações que eram do conhecimento de quem vivencia o dia a dia da questão do idoso no Brasil, mas desconhecidas da população em geral”, observa Lucia.

“A população idosa é invisível no orçamento público, é invisível nas políticas públicas e nas demandas em geral que a sociedade tem. A pandemia trouxe à tona essas lacunas, mas proporcionou também a oportunidade de mudança desse quadro por meio da conscientização das pessoas em relação aos seus direitos”, salienta.

Atenção às políticas públicas

Para ela, essa necessária transformação passa obrigatoriamente pelo cumprimento das políticas públicas, que são o instrumento de garantia do acesso das pessoas aos seus direitos fundamentais. 

“Sem políticas públicas não vamos avançar nem na questão dos direitos das pessoas idosas nem na dos direitos do restante da população. Por isso dedicaremos atenção especial a esse tema no seminário por meio da participação de representantes de conselhos, que são os espaços deliberativos das políticas públicas”, destaca Lucia.

SERVIÇO:
Webinar: Pessoa idosa, direitos humanos e o que a pandemia nos alerta
Data: 15 de junho (segunda-feira)
Horário: 17h30
Onde: página do CNDH no Facebook
Endereço: https://www.facebook.com/conselhodedireitoshumanos/

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia Mais
Conselho Nacional do Idoso divulga nota defendendo colegiados e controle social